Fotos
Vídeos
Tsarina, 2015
Faiança Rafael Bordalo Pinheiro pintada com vidrado cerâmico, renda em croché dos Açores

100 x 70 x 140 cm

Coleção da artista

O conjunto de obras em cerâmica e croché inscreve-se na série de trabalhos desenvolvidos a partir de um núcleo restrito de faianças desenhadas por Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905); unanimemente posicionado entre os mais destacados artistas portugueses do século XIX. A apropriação de Joana Vasconcelos, no quadro da vasta produção cerâmica de Bordalo Pinheiro, inclui apenas a representação naturalista de animais - alguns deles sobredimensionados -, cuja proximidade com o Homem é capaz de gerar desconforto, receio ou medo. Vespas; sardões e cobras; caranguejos e lagostas; sapos; cabeças de touro, burro e cavalo; lobos; ou até mesmo gatos em pose agressiva são ambiguamente aprisionados/protegidos por uma segunda pele em croché, produzindo um discurso apto a renovar os fluxos de significação associados às habituais relações entre cultura popular/cultura erudita e tradição/modernidade. A aplicação do croché num paradoxal aprisionamento/proteção dos animais, assim remetidos ao contexto doméstico, abre um vasto campo de leitura despertado pela beleza e estranheza que o resultado da operação produz.

2018 Whatever Happened to My Grandmother's Doggy, Mimmo Scognamiglio Artecontemporanea, Milão


2017 Revival, National Museum of Women in the Arts, Washington


2016 Joana Vasconcelos, Patricia Low Contemporary, Gstaad


2015 Material World, Phillips, Londres


WAT, Kathryn - Revival. Washington: National Museum of Women in the Arts, 2017.